Nuno Silva e Luís Mafra conquistam bolsas ERC
2019-12-10
Investigadores do CICECO distinguidos com bolsas de consolidação no valor global de quatro milhões de euros.

Bolsas de Consolidação do Conselho Europeu de Investigação (ERC, em inglês), no valor de dois milhões de euros cada, foram atribuídas a dois investigadores do CICECO-Instituto de Materiais de Aveiro, laboratório associado da Universidade de Aveiro (UA): Luís Mafra e Nuno Silva. O historial de atribuições das chamadas “bolsas ERC” ao CICECO já incluía uma bolsa de iniciação e, mais recentemente, uma bolsa avançada e outra para prova de conceito, as duas últimas ainda em curso.

Considerando este um “excelente resultado”, o Vice-reitor da UA para a área de investigação considera que esta notícia se enquadra na estratégia da atual equipa Reitoral que “pretende uma forte e crescente internacionalização da sua investigação e valorização dos seus investigadores”. Este resultado, afirma ainda Artur Silva, “é uma consequência da excelente qualidade da investigação que se realiza na UA e do entusiasmo que muitos investigadores e responsáveis, desde a Reitoria às unidades de investigação, sem o qual este feito não tinha sido conseguido, mas também dos serviços de suporte que diariamente ajudam a construir esta atmosfera saudável de crescimento constante”.

“A aposta e suporte que temos vindo a dar vai continuar nas próximas candidaturas às bolsas ERC e a oferta que indicamos logo no início do mandato continua presente – quem obtiver uma bolsa ERC terá uma posição na UA. Estamos a apostar e a apoiar, e continuaremos, as candidaturas aos projetos do Horizonte Europa e às ações e Marie Curie”, esclarece ainda o Vice-reitor.

As bolsas atribuídas à UA foram duas das quatro bolsas atribuídas este ano a instituições portuguesas. Neste concurso europeu, foram distinguidos 301 investigadores de 24 países, cobrindo um vasto leque de temas em ciências físicas e engenharia, ciências da vida, assim como nas ciências sociais e humanidades. A ERC recebeu, neste concurso, 2.453 bolsas.

 

Estudar superfícies gás-sólida para melhor captar CO2

Luís Mafra ERC

Luís Mafra, 41 anos, investigador principal em espectroscopia de Ressonância Magnética Nuclear (NMR em inglês), é coordenador do projeto “Unveiling CO2 chemisorption mechanisms in solid adsorbents via surface-enhanced ex(in)-situ NMR” que mereceu o financiamento europeu. Com este trabalho procura aprofundar a compreensão à escala molecular das interações nas superfícies gás-sólido, o que permitirá conceber materiais porosos com propriedades adsorventes melhoradas para captura de dióxido de carbono.  Luís Mafra concluiu o doutoramento, pelas universidades de Aveiro e de Caen (França), em 2006, ingressou no CICECO em 2007 e fez um pós-doutoramento no Max Planck Institut für Polymerforschung, Mainz (Alemanha), concluído em 2011. Foi distinguido com os prémios Celestino da Costa/Jean Perrin (2006) e António Xavier-Bruker prize (2009).

Para este investigador da UA, a atribuição da bolsa significa “reconhecimento pelo trabalho desenvolvido, oportunidade e responsabilidade”. Durante os próximos cinco anos, a verba disponibilizada permitirá consolidar o grupo de trabalho, através da contratação de investigadores juniores e seniores de modo a fazer face aos desafios deste projeto multidisciplinar.

 

Medir a temperatura a três dimensões

Nuno Silva ERC

Nuno Silva, 42 anos, dedica-se ao desafio da representação em imagem da temperatura a três dimensões, sem fios, de modo a que seja possível a determinação da temperatura, por exemplo, durante a ablação de tumores pelo calor. É esse o objetivo genérico do projeto, agora financiado, com o titulo “Rise of the 3rd dimension in nanotemperature mapping”. Nuno Silva trabalha como investigador principal no CICECO, desde 2008, no desenvolvimento de nanopartículas magnéticas, nanotermómetros e hipertermia. Fez o doutoramento na UA (em 2006) e foi distinguido com uma bolsa do Conselho de Investigação Espanhol, enquanto investigador da Universidade de Saragoça (onde esteve de 2007 a 2009).

O investigador entende que a decisão da ERC representa “um grande desafio e, simultaneamente, um enorme compromisso de modo a que cada euro da verba disponibilizada se transforme em conhecimento com valor e em tecnologia proveitosa”. Nos próximos cinco anos esta bolsa ERC permitirá, também, a consolidação do grupo de trabalho contratando mais de 10 investigadores.

 

Cinco tipologias de bolsas ERC

As bolsas ERC/Consolidação são atribuídas, por cinco anos, a investigadores notáveis de qualquer nacionalidade e idade, com sete a 12 anos de experiência após doutoramento e um currículo científico muito promissor.

O ERC (European Research Council), instituído pela União Europeia em 2007, é a mais importante organização para financiamento de investigação de excelência e temas de fronteira. O ERC atribui quatro tipos de bolsa: Iniciação, Consolidação, Avançadas e bolsas de Sinergia. Há ainda um quinto tipo, a Prova de Conceito que procura apoiar na passagem entre a investigação de ponta financiada com estas bolsas e as primeiras fases de entrada no mercado.

Share to Facebook Share to Twitter Share to Google+ Share to LinkedIn
Apoio

1suponsers_list_ciceco.jpg