verniz das unhas

quimica das coisas

 

O verniz para as unhas é um exemplo interessante quando se quer mostrar a importância da química no nosso dia a dia, através de exemplos inesperados…

Pois bem, sabia que os vernizes para as unhas são uma verdadeira receita química estudada ao pormenor? Quer ver?

Além da nitrocelulose que começou por ser usada em tinta para automóveis e que forma películas resistentes e de longa duração, temos ainda:

- polímeros adesivos (resinas), para garantir a boa adesão da nitrocelulose à superfície da unha;

- plastificante, embebido entre as cadeias do polímero, para tornar a película flexível, evitando que rache ou lasque facilmente;

- pigmentos (ou corantes) e partículas brilhantes para dar cor e alguns efeitos de brilho;

- E para evitar que estas partículas se  acumulem no fundo do frasco, os fabricantes adicionam ainda, espessantes tixotrópicos.

As substâncias tixotrópicas são  muito viscosas em repouso, mas tornam-se mais fluídas quando se agitam.

Ah! E nos bons vernizes temos ainda filtros de ultra-violeta para que o sol não altere a cor dos pigmentos.

Todos estes componentes são dissolvidos num solvente volátil, como o acetato de butilo ou o acetato de etilo, que evaporam após aplicação do verniz, deixando a película brilhante e colorida sobre a unha. É a estes solventes que devemos o característico cheiro a ….verniz!

E não vale a pena ter receio de tantos compostos químicos com nomes estranhos. De facto, ao longo dos anos as maiores alterações à fórmula do verniz de unhas foram introduzidas por questões de segurança, com alguns ingredientes prejudiciais à saúde a serem retirados ou substituídos, pelo que, pode dizer-se que os atuais vernizes para as unhas são receitas químicas testadas e perfeitamente seguras.

A química na ponta dos seus dedos, a trazer  mais charme à sua vida!

Apoio

1suponsers_list_ciceco.jpg