Notícias

29 Novembro 2023

CICECO obtém melhor taxa de sucesso de sempre no CEEC da FCT

CICECO obtém melhor taxa de sucesso de sempre no CEEC da FCT

Foram comunicados os resultados da avaliação das candidaturas ao 6º Concurso de Estímulo ao Emprego Científico Individual. Esta call destina-se a doutorados de qualquer nacionalidade ou apátridas detentores de percurso em qualquer área científica que pretendam desenvolver a sua atividade de investigação científica ou desenvolvimento tecnológico em Portugal.

Em 2023, o CICECO obteve uma taxa de sucesso de 19,4%, um valor significativamente superior ao registado no ano anterior (2022), com 14,9%. De referir que, principalmente na tipologia de “investigador principal”, este valor destaca-se claramente da média (14,57%), com uma taxa de sucesso de 23%.

No âmbito da sexta call CEEC, da FCT, foram selecionados treze investigadores CICECO, no total das três categorias:

JuniorResearcher:
Daniela Lopes
Loleny Tavares
Sofia Soares

Assistant Researcher:
João Rodrigues
Catarina Neves
Paula Barbosa
Helena Passos
Denis Alikin
Paula Torres
Jose Gouveia

Principal Researcher: 
Claúdia Nunes
Oleksandr Tkach
Andrei Salak como 

O apoio à contratação de investigadores doutorados tem como objetivos reforçar o sistema científico e tecnológico nacional através da criação de oportunidades de emprego para investigadores doutorados, promovendo a formalização do emprego científico após o doutoramento, contribuir para a atração e fixação em território nacional de doutores qualificados e, ainda, contribuir para o rejuvenescimento das instituições científicas. Visa ainda apoiar, aprofundar e especializar o exercício de atividades de investigação científica e de desenvolvimento tecnológico orientada para a solução de missões e desafios científicos enquadrados na Agenda de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas para 2030.

Paula Torres, investigadora do CICECO na área dos materiais e engenharia cerâmica e agora nomeada na tipologia de Assistant Researcher, destaca que a posição permite maior segurança de carreira bem como um estímulo monetário interessante, elementos primordiais para a continuidade da investigação em curso. A resiliência e a confiança são factores essênciais em todas as áreas profissionais salienta, mas têm um sentido especial na carreira científica, uma vez que os momentos de desânimo e aparente estagnação são comuns. Confiar no futuro é essencial, finaliza Paula Torres.

Também Cláudia Nunes, que obteve um sim na tipologia de Principal Researcher, destaca a resiliência como uma característica fundamental no trabalho do investigador, e um elemento crucial na carreira. Nem Paula Torres nem Claúdia Nunes esperavam a nomeação, que foi recebida com surpresa e alegria. “O concurso depende de inúmero factores, incluindo quem avalia. Tenho concorrido vários anos e consegui este ano. Claro que a candidatura vai melhorando sempre, mas há que ter em conta também todos os outros candidatos e a subjetividade na avaliação. Não há formulas feitas, pelo que o mérito e o bom trabalhos são elementares mas podem não ser suficientes”.

A investigadora da linha da digitização e do grupo 4 - Materiais renováveis e economia circular - destaca que a nomeação permite um reconhecimento do trabalho que vem vindo a desenvolver ao longo dos anos, e permite que se torne uma investigadora independente nos próximos seis anos, com maior liberdade e independência. O reconhecimento e credibilidade do trabalho desenvolvido é outro ponto muito importante, seja a nível nacional como internacional.

De destacar que na avaliação são analisados diversos factores, incluindo a independência científica do candidato, que é definida pela originalidade, capacidade científica e reconhecimento e afirmação internacional, ou ainda pela supervisão doutoral e pós-doutoral, ou pela capacidade de angariação de financiamento nacional e/ou internacional. Os painéis de avaliação podem recorrer a avaliadores externos, os quais elaboram pareceres sobre as candidaturas que lhes forem atribuídas, destinados a informar o trabalho e as decisões dos painéis. As candidaturas avaliadas são ordenadas, em cada um dos painéis de avaliação, por ordem decrescente da classificação final para cada nível de investigador doutorado aberto a concurso e selecionadas até ao número de contratos a financiar.

A contratação dos investigadores doutorados é financiada por fundos nacionais através da FCT e, quando elegível, cofinanciada por fundos comunitários.

Partilhe este artigo

Artigos Relacionados

Usamos cookies para atividades de marketing e para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao clicar em “Aceitar Cookies” você concorda com nossa política de cookies. Leia sobre como usamos cookies clicando em "Política de Privacidade e Cookies".